[ X ]

Utilizamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios. Si continua navegando, consideramos que acepta su uso. Puede cambiar la configuración u obtener más información “aviso legal”.

Paraninfo, academia en Madrid

+34 91 543 31 39 - info@paraninfo.com
C/ Princesa, 70 - 1º - 28008 Madrid

Cervantes British Council Oxford

Silvia

Silvia

Curso de Espanhol para estrangeiros

Silvia é uma das professoras de espanhol para estrangeiros da Academia Paraninfo.

Trabalha ensinando espanhol a grupos de alunos de distintos níveis. Seus alunos chegam de distintos países, continentes, culturas e costumes.

Silvia se caracteriza por sua simpatia e boa personalidade. Tem muita experiência e seus alunos podem disfrutar de seu carisma, sua notável paciência, sua versatilidade e do dinamismo de suas aulas.

Todas as entrevistas >>

Entrevista

Paraninfo

- Que estudos universitários você realizou? Em que se especializou?

Silvia

- Estudei letras-espanhol e minha especialidade foi literatura comparada. Mas depois, relacionando-o com o ensino de castelhano, me centrei mais em novas tecnologias adaptadas ao ensino de idiomas.

- Que memórias tem de sua etapa de estudante? Você se qualificaria como uma CDF? Como se lembra daquele tempo em que estudava?

- Definitivamente não me considero uma CDF, ainda que tenha que admitir que passava em todas as matérias, semestre a semestre, algumas na recuperação, claro. O que mais gostei na minha etapa de estudante universitária foi todo o extra-escolar. Ou seja, todas as atividades culturais que a universidade me oferecia; por exemplo, pertencia a uma associação de alunos que realizava conferências e festas; pude viajar a Itália de Erasmus, assistir a congressos de literatura, etc., ainda que para isso tivesse que faltar a muitas aulas.

- Como e quando começou a dar aulas?

- Quando terminei a universidade, com a desculpa de aprender inglês, fui a Irlanda, onde me diverti muito. Ali comecei a dar aulas de espanhol. Logo, voltei a Madri e na mesma semana encontrei um trabalho como professora de castelhano em Japão, e lá fui eu.

- Qual é o seu trabalho na academia Paraninfo?

- Professora de ELE.

- Fala algum idioma? Qual você gostaria de aperfeiçoar ou aprender?

- Falava italiano muito bem, mas faz muitos anos que não pratico. Apenas leio e ouço de vez em quando. Meu nível de inglês é difícil de definir. Sobrevivi, graças ao inglês, mais de 10 anos na Irlanda e no Japão; ou seja, falo e entendo, mas minha gramática é muito ruim e ainda tem vezes em que sou incapaz de entender bem um filme. E por último, o Japonês, que é um idioma que estou estudando a uns 13 ou 14 anos, mas muito, muito devagar. Tenho nível intermediário e é o que gostaria de aperfeiçoar.

- Como você se definiria como professora? Como é sua maneira de dar aula?

- É difícil me classificar porque mesclo muitas formas diferentes de dar aula. Por exemplo, no consigo fazer uma aula de conversação, ainda que seja livre, sem um objetivo gramatical; e, por outro lado, não posso explicar gramátcia sem praticar com um montão de exercícios orais. Mesmo preparando bem as aulas, sempre acabo improvisando em alguma parte.

- O que você mais gosta em seu trabalho?

- Juntar na mesma classe gente de culturas, idéias, situações e idades diferentes; então, com toda essa mescla, às vezes quase explosiva, conseguir criar um bom ambiente em que todos disfrutem. Acho que é o mais difícil e o mais bonito.

Todas as entrevistas >>